Função Familiar

Os Desafios da Função Paterna e Materna: Uma Análise Bíblica


O tema Função Paterna-Materna nas ciências psicológica ocupa lugar com uma significativa produção literária, dado o interesse que os acadêmicos têm pelo assunto. Sabe da importância da Função Paterna-Materna na estruturação psíquica e no desenvolvimento social e cognitivo da criança. Todavia, como é sabido, homens e mulheres ocupam o mesmo “espaço” quanto à Função, todavia, operam com elementos simbólicos sensivelmente diferentes.

Como se sabe, o conteúdo bíblico está repleto de informações que se enquadram dentro dos pressuposto da Função Paterna-Materna. É verdade que o conteúdo bíblico-judaico a figura paterna ocupa lugar central no “encucar” a lei na mente da criança (Deuteronômio 6:7), todavia, é preciso pensar, hermeneuticamente, de forma global, olhando a partir da ótica de Jesus a dimensão da vida familiar como um espaço “comunitário”, onde pai e mãe assumem o lugar funcional no desenvolvimento social, psíquico e espiritual dos seus filhos.

O discurso ideológico, e que muitos vezes se vincula ao político-partidário, que afirma que o modelo judaico-cristão é opressor, é feito de forma enviesada, tomando apenas uma pequeníssima parte e transformando-a no todo. Há alguns aspectos na narrativa judaica-cristã, no contexto da família, que é questionável? Certamente! Mas, não se pode tomar, neste caso, uma parte, e já por si só, qualificar como sendo o todo. O que temos, portanto, contexto geral, a partir da narrativa bíblica, é um modelo que contempla a dignidade humana, destacando claramente que existem função e papeis que não podem ser confundidos nem alteradas. E um destes papeis é a questão da Função, e neste caso, a paterna e materna.

Nesta palestra vamos focar a Função Paterna e Materna a partir do lugar do determinismo biológico, por um lado, mas indo além disto, vamos apresentar que o aspecto simbólico vai além do biológico.


Diretrizes para Realização de Palestras